Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \31\UTC 2010

Mais coisas que eu gosto.

Sonho de uma Flauta

Eu não sou Chico

Retrovisor

Torn – Secret Policemans Ball

Anúncios

Read Full Post »

Momentos, delirios ou realidade…

Tem momentos que sentimos o peito apertar, uma pressão, um aperto que só a gente sabe. Toda dor tem um motivo, uma razão de ser. Pode ser um aviso, um alerta, de algo não está certo, que não estamos dando conta de alguma coisa ou simplesmente fingimos não ver.

Mas como ver, e não vendo como sentir. É meio estranho, mas é verdade, tem coisas que não precisamos ver pra sentir, e nem sentir pra poder ver. Nessas horas temos vontade de fugir pra um lugar distante, distante de todos os nossos desejos, amores e temores, distante de uma vida e suas lembranças.

Em muitos momentos imaginamos que se explodíssemos, seriamos livres, ou que me faria em minúsculos pedaços, a quem consegue desses meus minúsculos pedaços tirar o melhor de mim. Isso geral nostalgia, nostalgia que quando ainda não sabemos lidar com a solidão, com uma saudade.

Só peço que também se lembrem, que se eu não estiver, não fora por falta de vontade de estar.

Não sei se desejo permanecer sozinho, ou estar acompanhado. Nem mesmo sei se desejo estar.

As vezes imagino todas as pessoas de minha vida, passando como um raio de eletricidade. Imagino seus sorrisos – como é bom sentir seus risos, ouvir suas vozes – Fico imaginando o que fizeram enquanto eu estava ausente. O que eu perdi?! Sinto não poder compartilhar cada instante de suas vidas, suas respirações…

Um sofrimento que me faz querer desvanecer.

Vontade de jamais escrever aqui.

Cada letra, cada palavra escrita, fazem lembrar que quando escrevo sou incompleto, sozinho, e distante.

E assim, a cada minuto, tenho mais certeza que vou em direção à lugar algum. Um rato sem saída, cujo mapa possui, mas não há olhos ver.

Talvez não importa o quanto eu escreva – fugindo de meu mundo, de meu personagem vago – jamais conseguirei esvaziar aquele ar preso sufocante. Deixar de sentir o peito esmagado, a boca seca, e a garganta entalada.

 

Minha alma continuará a tremer, e o que quer que aconteça comigo essa noite, não se preocupem. Mato-me para renascer, e renasço todos os dias.

Amanhã volto para vocês. Para minha vida de ensaios modestos.

Amanhã volto para mais um meio sorriso. Para meu olhar de censura, minha face de desinteresse, minhas palavras comedidas e pra MUITOS meu jeito seco e frio de ser, mas… meu jeito.

Hoje, apenas durmo para sonhar – e como já disse antes – Sonho, para poder viver.

“Posso vir a não conseguir tudo que desejo, mas sei muito bem o que não quero pra minha vida”

 

Read Full Post »

Coisas Legais do YouTube

Oi pessoal sou um viciado em youtube, vou passar a colocar aqui coisas que eu gosto de ver e acho legais, compartilhando com vocês.

Read Full Post »

Razão

Não sei por qual razão eu escrevo, não sei se é por amor, por mania, pode ser que eu tenha uma necessidade, necessidade de colocar aqui frases, sentimento, sensações que meu coração embaralha e deixa sair.

Por muito disso já eu sonho, não apenas por esperança, ou por alguma razão que seja, mas por tentar encontrar uma maneira de me confortar, me consolar pelas minhas frustrações.

Frustrações essas talvez advindas de fraquezas de pensamentos, de atitudes, de erros cometidos, de aparência, ou razões pelas quais eu vivo. Razoes que são inúmeras, desde uma filha, a uma vontade de ser muito feliz, tantas são as razões quanto o numero de pensamentos e emoções que temos no decorrer de um dia, de uma vida.

Razão pela força que encontro em cada dia que se inicia, na grande vontade de sorrir de verdade, de sorrir com a alma, e de ganhar esse mesmo sorriso de volta. Ou pelas inúmeras manias e chatices que eu tenho ou as que convivo, mas nada me tira mais a razão do que gostar, do que amar e amar sozinho.

E esta solidão não só de companhia mas de sentimento é que embaralha meus pensamentos e chega e muitos momentos a tornam vãos os meus pensamentos.

Read Full Post »

É Curioso Como Não Sei Dizer Quem Sou

É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo…

Sou como você me vê.

Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar.

Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesmo, mas com certeza não serei o mesmo pra sempre.

Autora: Clarice Lispector

Quando as palavras de outras pessoas falam por nos……….

Read Full Post »

Nunca abri mão do amor, mas tenho quase certeza de que ele abriu mão de mim. Talvez seja porque tenho uma grande capacidade de conformismo. É claro que sinto falta de borboletas no estômago, calafrios, noites insones…

Sempre fiz o tipo romântico, apesar de não parecer, ao menos eu me considero. Para mim, um diamante pode ser mais efêmero do que uma rosa – não é hipocrisia. Passo longe de ser um homem perfeito… tenho mais defeitos do que posso mensurar, mas, ao menos tenho o raro dom de sonhar e, apesar de todos os pesares, tenho vontade de amar…

Talvez o destino fuja do meu caminho por enxergar uma inapetência de emoções. Talvez ele se esqueça que eu também preciso de alguém que aqueça meu coração e me faça perder a razão…

Mas o que fazer se eu quero cair? Me perder nesse abismo… ficar à mercê da vontade de outrem. Quero ouvir meu coração bater e sentí-lo apanhar… Quero sofrer, morrer de amor… mas, quero amar!

Sentimento estranho esse…  AMOR Híbrido, por misturar varias sensações ate distintas e opostas…. mas com certeza é maravilhoso.



Read Full Post »